4 chamados MAIS RIDÍCULOS que a polícia foi obrigada a atender

300

Foto reprodução

Em geral, relacionamos números de emergência a situações sérias, que oferecem algum tipo de risco real, como incêndios, acidentes ou, numa cidadezinha mais parada, um gato em cima da árvore. Todo mundo sabe que as linhas telefônicas destinadas a isso devem estar sempre desocupadas — e até por isso existe um clamor público para desencorajar possíveis trotes. Só que as ligações não se dividem apenas entre emergências reais e chamados falsos: também tem aquela galera que resolve ligar por motivos que, no mínimo, não tem nada a ver com o trabalho dos policiais, médicos ou bombeiros. Na verdade, em alguns casos não tem nada a ver com nada. Mas, mesmo assim, alguém teve que ir lá ver o que estava acontecendo. 4 chamados mais ridículos que a polícia foi obrigada a atender