Você come 50 mil partículas de plástico por ano

95

Todos nós estamos cansados de saber que uma boa alimentação pode influenciar sim na nossa saúde e na disposição que temos para enfrentar o dia a dia. O segredo não está em apenas comer frutas e legumes, mas sim fazer uma dieta equilibrada com todos os alimentos. Claro, ingeridos em quantidades certas, pois o nosso corpo precisa de um pouco de cada alimento para nos podermos ter uma vida saudável.

Mesmo que nós façamos o maior esforço para nos mantermos saudáveis e comer direito, comemos em média 50 mil partículas de micro plástico por ano. E respiramos uma quantidade parecida. Isso conforme diz o primeiro estudo a estimar a ingestão de poluição plástica.

Mesmo com o resultado do estudo, o número real de partícula ingeridas é provavelmente muito maior. Isso porque poucos alimentos e bebidas foram analisados para determinar a contaminação com plástico.

O impacto que essa ingestão de micro plástico tem na saúde das pessoas, ainda é desconhecido. Mas isso não impede de que suposições sejam levantadas. E segundo elas, essas partículas podem liberar substâncias tóxicas. Além disso, pode ser que os menores fragmentos entrem nos tecidos e causem uma reação no sistema imunológico da pessoa.

Refeições

Essa presença do micro plástico é causada pela desintegração do lixo plástico, por isso parece estar no mundo todo. Esses micro plásticos foram achados no ar, solo, rios e nas profundezas dos oceanos. Também foram achados na água da torneira e nas minerais, nos frutos do mar e na cerveja. E é claro, nas fezes humanas, o que comprova que nós ingerimos essas partículas.

Segundo a pesquisa da revista Environmental Science and Technology, foram analisados 26 outros estudos. Eles mediram a quantidade de partículas em peixes, assim como frutos do mar, açúcar, sal, cerveja, água e no ar das cidades.

Então os pesquisadores usaram recomendações de dieta feitas pelo governo dos EUA para calcular quantas partículas as pessoas, provavelmente, comem ao ano. Os resultados mostraram que adultos ingerem cerca de 50 mil partículas e crianças 40 mil.

Mesmo assim, a maioria das comidas e bebidas não foi estudada. “Nós não sabemos muita coisa. Existem alguns buracos grandes de dados que precisam ser preenchidos”, diz o pesquisador principal Kieran Cox, da Universidade de Vitória.

E alguns dos produtos que não foram analisados como pães, produtos processados, carne, laticínios e vegetais podem ter tanto plástico quanto os analisados. “É muito possível que existam grandes quantidades de partícula de plástico neles”, comenta.

Partículas

Os pesquisadores ainda não sabem o que acontece quando os micro plásticos são inalados. Mas, segundo um novo estudo, pode ser que a maior parte das partículas inaladas seja ingerida ao invés de expulsa pela tosse ou espirro.

O estudo diz que, por mais que as consequências não sejam conhecidas, existe uma grande chance delas provocarem coisas negativas para saúde humana. “Poderia ser um alarme potencial, com certeza”, explica.

“Remover plásticos de uso único da sua vida e apoiar empresas que estão se distanciando de embalagens plásticas vai ter um impacto muito grande. Os fatos são simples. Nós estamos produzindo muito plástico e ele acaba no ecossistema, e nós fazemos parte desse sistema”, conclui.