Trump assina ordem que incentiva EUA a minerar a Lua

33

O mundo pode estar atormentado pela pandemia do coronavírus, mas Donald Trump parece estar “com a cabeça na Lua”. Na última terça-feira (07), o presidente americano assinou uma ordem executiva que incentiva os EUA a promover extração de minerais do nosso satélite natural.

(Fonte: Pexels/Reprodução)

(Fonte: Pexels/Reprodução)

A história de trabalhar a mineração da Lua não é nova: em 2015, por exemplo, o congresso americano resolveu aprovar uma lei que permite que as empresas do país possam fazer uso de recursos extraídos da Lua e de asteroides.

A ordem assinada essa semana evidencia que o governo dos Estados Unidos não encara o espaço sideral como um “bem comum global”, incentivando abertamente a mineração da Lua sem que nenhum tipo de tratado internacional tenha sido considerado.

Além disso, a ordem executiva afirma que os Estados Unidos não vão concordar com qualquer tipo de tentativa, envolvendo as aplicações do direito internacional, para impedir as iniciativas e esforços que visam a extração de pedaços da Lua ou, ainda, caso haja a oportunidade de levar a mineração para Marte e “outros corpos celestes”.

“O espaço sideral é um domínio legal e fisicamente único da atividade humana, e os Estados Unidos não veem o espaço como um bem comum global. Os americanos devem ter o direito de se envolver em exploração comercial, recuperação e uso de recursos do espaço sideral”, afirma um trecho da ordem.

Ainda há a observação de que os Estados Unidos nunca fizeram parte e muito menos assinaram o acordo de 1979 conhecido como Tratado da Lua. Este acordo dispõe sobre o comportamento da humanidade em relação ao espaço, ou seja, quaisquer atividades desenvolvidas no cosmos deveriam estar de acordo com o direcionamento do direito internacional.

Força especial, ou melhor, espacial

Trump já demonstrou em vários momentos que tem um firme interesse em estabelecer e afirmar o poderio americano no espaço. Um exemplo de como ele leva o assunto a sério é que já sinalizou, em 2019, a criação de uma Força Espacial dentro das Forças Armadas dos Estados Unidos que seria responsável por lidar com guerras espaciais quando fosse preciso.

Trump parece se interessar muito e entender pouco sobre o espaço. Em junho do ano passado, ele virou alvo de piadas por não saber direito a que planeta a Lua pertence. No tweet em questão, ele dizia que a NASA “deveria se concentrar nas coisas muito maiores que estamos fazendo, incluindo Marte (do qual a Lua faz parte)”.

CC: MEGA CURIOSO