Qual a chance do asteroide de 55 milhões de toneladas se chocar na Terra?

72

Abstract apocalyptic background – burning and exploding planet . This image elements furnished by NASA

Desde 2012, existem boatos crescentes sobre o fim do mundo. Será que essa é a hora? Levando em consideração que um asteroide gigantesco pode atingir o nosso planeta, talvez, o fim seja inevitável. Mas não, calma, pode ficar tranquilo. Não é por agora que vamos ser extintos como os dinossauros.

O fato é que, de acordo com a agência espacial americana, um asteroide de 55 milhões de toneladas está a caminho do nosso planeta. Identificado como FT3, o objeto de grandes proporções se aproximará da Terra no dia 3 de outubro desse ano. Mas, segundo a NASA, o risco de colisão é muito baixo. Isso só aconteceria caso o asteroide saísse de sua rota.

Mas, caso isso acontecesse, e o asteroide realmente colidisse com a Terra, a força destrutiva prevista seria equivalente a 2.700 megaton. Para se ter uma ideia do quão destrutivo isso é, imagine a bomba de Hiroshima no Japão. Pois bem, ela tinha entre 13 e 18 quiloton e causou todo aquele estrago. Agora estamos falando de megatons, exatamente de 2.700 megaton.

O asteroide

O setor, responsável por rastreamento de objetos espaciais da NASA, informou que um asteroide de 340 metros de diâmetro e 55 milhões de toneladas se aproxima da Terra. É esperado que esse objeto passe próximo ao nosso planeta no dia 3 de outubro.

De acordo com a NASA, as chances de colisão com a Terra são baixas. Isso só aconteceria em caso de o asteroide sair da sua rota. Caso isso acontecesse, não seria nada bom. Até porque, como dissemos, a sua força destrutiva é equivalente a 2.700 megaton. Se ele entrasse na atmosfera terrestre, o asteroide ganharia uma velocidade de 45.500 km/h. Não precisa ser nenhum gênio para saber que isso é muito. Mas pode ficar tranquilo, não é agora que vamos ser aniquilados por um asteroide.

Chamado de FT3, a passagem do asteroide de alto poder destrutivo em outubro será a primeira de 165 aproximações esperadas pela NASA, entre os anos de 2019 e 2116. Naturalmente, a cada nova passagem, será possível determinar mais precisamente as possibilidades de colisão, se irão aumentar ou diminuir.

O objeto se trata de uma rocha espacial, que circunda o Sol, dentro de um cinturão entre Marte e Júpiter. A NASA já vem monitorando a rota do FT3 desde 2007. Ela garante que as chances de ele não colidir com nosso planeta são de 99.9999908%. Ou seja, se ele sair da sua rota, será muito azar nosso.

Possível colisão

Pelo visto, não está nos planos do asteroide atingir a Terra por agora. Porém, em caso de mudança de rota, dias antes de uma suposta colisão, não teríamos o que fazer quanto a isso. “Um asteroide em uma trajetória de impacto na Terra não poderia ser abatido nos últimos minutos ou mesmo horas antes do impacto”, afirma a NASA.

Ainda segundo a NASA, “a probabilidade de impacto e o risco associado tenderão a aumentar à medida que observações forem sendo acrescentadas”. Ela ainda adicionou que, “eventualmente, a probabilidade de impacto cairá abruptamente a zero ou, se o asteroide estiver realmente em uma trajetória de colisão, a probabilidade continuará crescendo até atingir os 100%”.

Ou seja, não temos muito o que fazer. Podemos apenas torcer para que o asteroide siga a sua rota estabelecida. Tomara que ele  fique o mais longe possível do nosso planeta.