NASA ENCONTRA 1º ‘PLANETA HABITÁVEL’ DO TAMANHO DA TERRA

13

Na última segunda-feira (06), pesquisadores da NASA anunciaram que o Satélite de Pesquisas de Exoplanetas em Trânsito (TESS) fez uma grande descoberta! Um planeta do tamanho da Terra que fica em uma zona habitável em sua estrela hospedeira, ou seja, uma distância orbital na qual a água líquida pode ser estável na superfície.

O TESS foi lançado em abril de 2018, e sua missão é procurar especificamente planetas com um tamanho parecido com o nosso e que estejam orbitando estrelas próximas. Ele utiliza um “método de trânsito”, a mesma estratégia usada pelo telescópio espacial Kepler, que descobriu cerca de 70% dos 4 mil exoplanetas conhecidos.

07143914187188
(Fonte: NASA’s Goddard Space Flight Center/Reprodução)

O TOI 700 d – TOI vem de “TESS Object of Interest”, traduzindo Objeto de Interesse do TESS – fica na parte mais externa do sistema e é apenas 20% maior do que a Terra. O mundo alienígena completa uma órbita a cada 37 dias (fato que foi confirmado também pelo telescópio Spitzer) e recebe 86% da energia estelar que nós recebemos do Sol. Além disso, ele fica a apenas 101,5 anos-luz daqui, o que o torna um bom candidato para mais observações e acompanhamentos.

Os cientistas planejam entender essa nova descoberta o máximo que puderem, e calcular sua massa ao medir o quanto sua gravidade puxa a estrela hospedeira. Antes deste cálculo, não está claro o quão denso ele pode ser, e se possui um ambiente rochoso como o do nosso mundo. Além disso, observações profundas da luz que flui através de sua atmosfera podem dizer muito sobre a superfície do local, que continua sendo um mistério no momento.

Além do 700 d, existem mais três planetas orbitando ao redor da estrela TOI 700, e todos estão em estado de acoplamento das marés, que é quando o gradiente gravitacional faz com que um lado de um corpo celeste esteja sempre voltado para outro corpo celeste, como a nossa Lua. Mas os astrônomos dizem que isso não é necessariamente uma possibilidade que exista vida neles.

Mas a boa notícia é que em 11 meses de dados, a estrela central não apresentou explosões, o que diminuiria a chance de ser um local habitável, já que anãs vermelhas como a TOI 700 são geralmente mais ativas e uma liberação de energia repentina poderia destruir a atmosfera de um mundo rapidamente.

Hoje (07), tivemos outra novidade empolgante do TESS. Os membros da missão anunciaram que o satélite encontrou seu primeiro planeta circumbinário (que possui dois sóis) e que a brilhante Alpha Draconis e sua parceira mais sombria se eclipsam mutuamente.