Maconha é a porta de entrada para outras drogas?

6

Apesar da afirmação bastante comum de que a maconha abre caminho para que o usuário experimente outras drogas, saiba que a maioria dos dependentes químicos internados em clínicas de recuperação fizeram pouco uso da maconha. 

Isso porque a Cannabis — nome oficial da maconha — é uma erva tranquilizante que nem sempre vicia. Na maioria dos casos, os usuários optam por ela em momentos de descontração. O que não acontece com as drogas mais pesadas, que tem como objetivo estimular o corpo a sentir determinadas sensações.  

É nesse momento que o perigo surge e pode transformar um simples usuário em dependente químico: quando ele não consegue mais viver sem os estimulantes. Para o tratamento, o ideal é procurar uma clínica de reabilitação

Apesar de não ser verdade em todos os casos, existem situações que podem fazer o usuário deixar a maconha de lado e começar a usar substâncias com efeitos muito mais prejudiciais. Saiba mais.  

Simples experimentação

Usuário de maconha ou não, o uso de entorpecentes é iniciado, na maioria das vezes, como uma experimentação. A curiosidade em descobrir quais são as sensações provocadas por drogas como cocaína e LSD, por exemplo, levam o usuário a ficar dependente e, futuramente, precisar de tratamento em uma clínica para dependentes químicos. 

Isso acontece porque em um primeiro contato, as sensações geradas parecem ser boas, mas a longo prazo prejudicam a saúde e a convivência social, fazendo com que o usuário seja internado em uma clínica de recuperação feminina ou masculina. 

Subestimando o poder das drogas

Todo mundo conhece os efeitos negativos que as substâncias químicas causam no organismo humano. No entanto, muitos ainda subestimam o poder viciante destas drogas.  

Não é o que acontece em sua grande maioria, mas uma pessoa que só tem contato com a maconha pode acreditar que não ficará viciado se experimentar drogas mais pesadas.  

O crack e a cocaína estimulam o corpo daquele indivíduo a sempre querer mais. Dessa forma, ele acha que está tudo sob controle enquanto perde a noção de sua dependência.  

Subestimar o efeito viciante das drogas no organismo pode trazer graves consequências. O bom é que existe tratamento e procurar uma clínica de recuperação em Goiás é uma saída.  

Uso da maconha e drogas pesadas: tratamento em clínicas de recuperação

 Apesar de não haver relação do uso inicial da maconha com drogas mais pesadas como o crack, por exemplo, nós sabemos que existem casos em que isso acontece. 

O uso desta droga ilícita de uso comum pode ser uma porta de entrada para jovens que recebem influência de outras pessoas e acreditam serem mais fortes que a própria droga. 

A experimentação pode levar o usuário para uma clínica de internação e destruir sonhos e projetos. 

Sabe-se que até mesmo o uso da maconha já é consequência de influências recebidas na adolescência. No entanto, depois de viciado, o usuário se encontra sozinho para lutar contra o mal causado pelas drogas. 

O tratamento nas clínicas de recuperação masculina não é simples e pode levar algum tempo, mas é a melhor opção para recuperar a vida de quem se perdeu no mundo das drogas.