Drogas: como lidar com recaída?

1

As situações de recaídas de drogas e álcool, é um fator preocupante para o próprio dependente, como para a família, pois uma coisa que muitos não sabem, é que mesmo passando por várias séries de tratamentos em clínicas de recuperação masculina, os pacientes podem vir a ter uma recaída, pois não existe ainda algum tratamento que elimine 100% o vício da pessoa das drogas.  

E, em casos de recaída, a família do paciente deve ter paciência, acolher com carinho e estar disposto a ajudar, mesmo que a internação em uma clínica precise ser de forma involuntária, mas sempre deve demonstrar apoio e amor pela pessoa, para que ela também tenha forças para lutar contra o vício. A seguir, traremos algumas dicas de como lidar nessas situações.  

Analise os sintomas de uma possível recaída

Como já dito anteriormente, familiares e amigos de um ex-dependente químico devem estar atentos quanto a comportamentos de uma possível recaída com a pessoa. Existem sintomas padrões que ocorrem com quem está em fase de recaída ou já voltou a utilizar 100% do que usava de drogas antes de internação e tratamentos. Dentre os sintomas comportamentais, estão: 

  • Crises de ansiedade ou sintomas de depressão que podem causar a falta de interação com amigos e familiares, querer ficar sozinho o tempo todo ou chorar pelos cantos, que pode ser causa de abstinência; 
  • Impaciência consigo mesmo e com as pessoas ao seu redor, demonstrando irritação com facilidade; 
  • Sinais de agressividade e grosseria quando o assunto tem relação ao tratamento em uma clínica de recuperação

Recaídas são comuns num processo de desintoxicação

As drogas têm o poder de modificar o funcionamento do organismo de alguém que um dia já foi dependente químico. E essa modificação do corpo de alguém que tem o vício se dá a composição química da droga, e a sensação que ela traz durante o uso.  

Por isso que as recaídas acabam sendo comuns, pois no momento em que o organismo sente a falta dessa saciação que costumava sentir com as drogas, é quando a pessoa passa a ter crises de abstinência e possíveis recaídas, pois o desejo do corpo pode falar mais alto do que a vontade de se curar.  

E, já sabendo que isso é comum de acontecer, famílias e amigos devem estar prontos para dar suporte novamente ao usuário, e buscar por tratamentos de drogas em uma boa clínica de recuperação em Goiás.  

Incentive o dependente a retornar à clínica

Em momentos de recaída tanto para drogas como para o álcool, a família e amigos com paciência e cautela devem tentar incentivar e convencer a pessoa a se internar novamente em uma clínica de recuperação para que o vício não prejudique novamente sua saúde. Tentar convencer também evita internações forçadas, que não são nada fáceis para a família e para o dependente que passará por isso. 

Para que dê certo o incentivo converse de forma amigável com o dependente, e alterne alguns dias até que a pessoa perceba que isso será o melhor para ela, e busque ajuda para se tratar voluntariamente.