Como tratar dependência química?

2

A dependência química é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma doença crônica, progressiva e incurável. Todavia, é possível tratá-la em clínicas de recuperação de drogas. A dependência é caracterizada pelo consumo excessivo de substâncias psicoativas, responsáveis por causar alterações comportamentais, físicas e mentais no indivíduo.  

Em razão do fácil acesso de drogas, especialmente na adolescência, a dependência química é um dos principais problemas de saúde pública no mundo. Substâncias como o álcool e a nicotina, embora sejam lícitas e socialmente aceitas, também podem causar dependência e deterioração da saúde do indivíduo.  

Existem diferentes tipos de tratamento para o vício, levando em consideração fatores biológicos, sociais e mentais, além das condições que podem ter levado a dependência. O tratamento é pensado por uma equipe multidisciplinar a partir de uma avaliação psiquiátrica, que avalia o estágio de toxicidade do organismo e o nível de dependência.  

O primeiro passo para o tratamento é a internação, que pode ser tanto voluntária quanto involuntária. Em razão das mudanças comportamentais causadas pelas drogas psicoativas, é comum que o indivíduo apresente sinais de violência consigo mesmo e com pessoas à sua volta.  

Por isso, em alguns casos, é comum que ocorra uma internação involuntária. Ou seja, sem a autorização do dependente. Na maioria das vezes, a decisão parte da própria família.  

Aceitação é o primeiro passo para procurar tratamento

Antes desse estágio, diante do eminente problema que é a dependência, é comum que o paciente entre em estado de negação. Nesse momento, frases como “não é vício, quando eu quiser, eu paro” são habituais. Entretanto, a realidade é bem diferente.  

Drogas psicoativas, quando em contato com o organismo, liberam endorfina — substâncias responsáveis por promover a sensação de prazer e bem-estar. Essa sensação é o que move o indivíduo a continuar consumindo.  

Quando o dependente alcança a fase de aceitação (a mais desejada pela família e amigos), ele reconhece os danos causados pelas substâncias e se compromete a procurar ajuda profissional, em prol da própria saúde e vida pessoal. É uma fase que exige resiliência, disciplina e muito apoio de pessoas próximas.  

Manutenção de uma vida saudável 

Durante o tratamento de maconha e outras drogas, é importante estabelecer uma rotina de hábitos saudáveis para tentar reparar os danos causados no organismo — como a prática de esportes e o apoio nutricional.  

No geral, a dependência química leva os indivíduos a negligenciar alguns aspectos importantes ligados à saúde. Sem os nutrientes necessários para o funcionamento correto do organismo, ele está suscetível a diversas doenças, como diabetes e até câncer.  

A atuação de um profissional nutricionista vai garantir que o paciente seja reeducado quanto a seus hábitos alimentares, garantindo que sua alimentação permaneça saudável.  

Importância da terapia comportamental no tratamento de dependência química 

A terapia comportamental é uma das mais importantes no tratamento de dependência química em clínicas de recuperação na Paraíba e em outros lugares. Isso porque ela busca auxiliar o paciente a refletir sobre os malefícios do consumo de drogas à saúde e em seus vínculos pessoais e profissionais.  

Ao identificar a raiz do problema, o dependente reflete sobre os motivos que o conduziram ao vício e, a partir de um acompanhamento, ele desenvolve táticas para lidar com o estresse e a pressão.  

Nesse contexto, a terapia é uma grande aliada no momento de reinserir o indivíduo na sociedade, ao mesmo tempo em que trabalha para que o vício seja abandonado completamente.