Centenas de estrelas sumiram e os cientistas não sabem o por quê

118

Um grupo de astrônomos está querendo quebrar paradigmas a respeito da suposta estabilidade da galáxia e seus bilhões de estrelas por meio de uma pesquisa na qual detectaram que pelo menos 100 feixes de luz que haviam aparecido em meados do século XX desapareceram atualmente.

potw1830a
This image shows a number of antennas from the Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA), a state-of-the-art telescope array positioned high in the Chilean Andes. A full Moon can be seen above the red-tinted horizon, glowing brightly above the observatory. ALMA sits on the Chajnantor Plateau, some 5000 metres above sea level. At this altitude, crystal-clear views of the cosmos can be seen on an almost nightly basis, as shown by the striking cosmic caterpillar gliding over the top of the ALMA antennas in this image. This bright streak is the Milky Way; the galaxy’s bulge of gas and intricate dust lanes is clearly illuminated against the star-studded night sky, with pink-hued patches marking areas of hot, ionised gas produced by newly formed stars. The brightest part of the Milky Way — the very heart of our galaxy — is situated approximately 25 000 light-years away from Earth.

Em meio a um projeto chamado VASCO, o referido grupo de astrônomos efetuou a comparação de pesquisas de 70 anos com imagens mais atuais do céu noturno para tentar descobrir o que poderia estar acontecendo. Depois de muitos anos de pesquisa, eles publicaram os resultados dos seus estudos no Astronomical Journal.

26102351342125
Fonte: Pixabay

Os tais feixes de luz que teriam desaparecido podem ter sido simplesmente flashs de luz quaisquer ou mesmo significar a morte de algum corpo celeste, como estrelas, que é justamente a hipótese que os cientistas estão averiguando.

O que ocorre quando as estrelas morrem?

Quando uma estrela morre, o habitual é que elas explodam de maneira magnífica, fenômeno esse chamado de supernova, o qual é difícil de não ser notado. Aliás, há 1.800 anos, astrônomos chineses registraram a primeira supernova.

No entanto, é absolutamente incomum uma estrela ou uma galáxia simplesmente desaparecerem sem exibir nenhum sinal, como se simplesmente tivessem sido desintegradas. Segundo os pesquisadores, isso pode indicar uma nova forma de uma estrela morrer ou sinal de vida inteligente bloqueando seus sóis com painéis solares.