A história da criança que roubava as calcinhas da Rainha da Inglaterra

85

Não é de hoje que celebridades são perseguidas por uma legião de fãs. O hábito é antigo. Não acredita? É porque, até agora, você não tinha ouvido falar de Edward Jones, um jovem que entrou no Palácio de Buckingham, na Inglaterra, e roubou a roupa íntima da Rainha Vitória.

Os feitos de Jones foram objetos de estudo do pesquisador Jan Bondeson, da Universidade de Cardiff. Bondeson estudou tudo sobre Jones por exatos cinco anos. Sua pesquisa resultou no livro Queen Victoria & the Stalker (A Rainha Vitória e o Stalker). Na obra, Bondeson comenta que o episódio é, possivelmente, o primeiro caso de stalker de celebridade.

De acordo o pesquisador, Edward era um garoto solitário e estranho. “Edward Jones sempre foi um personagem muito estranho. Além da rainha Vitória, nunca se interessou pelas mulheres. Era solitário. Não era esquizofrênico ou classificado como louco, só esquisitão. Era extremamente feio, com uma enorme bocarra onde se destacavam os dentes amarelos. E nunca tomava banho. Por isso, algumas empregadas acharam que ele era o jovem responsável por limpar as lareiras e latrinas”, disse Bondeson.

O pesquisador, no livro, informou também que é muito difícil imaginar ou saber a razão da obsessão de Jones por Vitória. Entretanto, para Bondeson, o menino, que na época tinha apenas 14 anos, começou a mirá-la como alvo a partir de sua estadia em Buckingham, onde a Rainha governou entre 1837 e 1901.

Ainda de acordo com o pesquisador, Jones entrava no palácio quando queria. “Essa questão com a segurança não existia na época, pois as portas eram destrancadas e as janelas do térreo, não pavimentadas”, explicou.

Flagrante

Jones foi pego quatro vezes vasculhando o palácio. Entretanto, Jones admitiu apenas três invasões. Alguns momentos são até cômicos. A primeira vez que foi flagrado, Jones tinha a calcinha da monarca enfiada nas calças. Na segunda, o garoto havia roubado comida da cozinha. Em outras duas, Jones foi flagrado sentado no trono.

Após todos esses episódios, Jones foi julgado por um conselho particular em segredo. Foi considerado culpado, mas, em suma, por não ter cometido um crime, Jones não permaneceu muito tempo preso. Mesmo tendo sido sentenciado a três meses de reclusão por ladinagem e vagabundagem, o garoto continuou perseguindo Vitória.

Cansados dos feitos de Jones, membros do governo decidiram tomar uma atitude mais drástica. Edward foi sequestrado e colocado em um barco para o Brasil. Entretanto, tempo depois, Jones conseguiu voltar para a Inglaterra. Ao ser capturado pela segunda vez, o garoto permaneceu em reclusão por seis longos anos.

Nesse período, o jovem ficou conhecido como Boy Jones, tornou-se alcoólatra e, após o fim de sua sentença, seguiu a vida como ladrão. Jones, como se recebesse uma última oportunidade do governo, foi deportado para a Austrália.

Na Austrália, o garoto foi obrigado a conviver com diversas piadas sobre o caso. Jones viveu pouco tempo ali. Após tal período, conseguiu regressar novamente à Inglaterra. Quando chegou em sua terra natal, o irmão de Jones o convenceu a voltar para a Austrália e ele se tornou o líder da cidade de Perth.

Via Fatos Aventuras na História     BBC