7 tentativas de assassinato contra membros da Família Real

71

Coroada em 1952, a Rainha Elizabeth II é a monarca mais longeva a ocupar o trono em toda a história da Família Real. É a chefe de estado do Reino Unido e de outros 15 reinos da Commonwealth, como Austrália e Canadá. Ela superou em setembro de 2015 sua tataravó, a Rainha Victoria.

Hoje, a família real britânica é, provavelmente, a família real mais famosa do mundo. Em contrapartida, por ser uma das instituições mais antigas da história, os membros da realiza, ao longo da história, tornaram-se, inúmeras vezes, alvos de tentativas de assassinato. Aqui estão 7 tentativas frustradas de assassinato da família real britânica. Veja.

1 – Prince Charles

1 35

Em 1994, o príncipe Charles esteve na Austrália, para comemorar o Dia da Austrália. Na ocasião, David Kang, um ex-estudante universitário frustrado com o status de requerente de asilo do Camboja, na Austrália, subiu ao palco onde estava o príncipe e disparou 2 tiros contra ele. O príncipe foi rapidamente retirado do local por sua equipe de segurança, que prendeu Kang em seguida. Felizmente, o príncipe Charles saiu com vida.

2 – Rainha Vitória

2 28

A rainha Vitória governou a Inglaterra e o Império Britânico durante toda a Revolução Industrial. A Revolução Industrial permitiu que o Império Britânico se expandisse e controlasse um quarto do mundo, basicamente. A rainha Vitória também vivenciou inúmeras tentativas fracassadas de assassinato. A mais notável ocorreu em 1840, logo após o casamento. A rainha e o marido estavam andando de carruagem, quando Edward Oxford disparou um tiro contra ela. Antes de Oxford poder disparar uma segunda vez, a rainha conseguiu se esconder.

3 – Rainha Elizabeth II

3 17

A tentativa de assassinato ocorreu em outubro de 1981, quando a rainha estava visitando a Nova Zelândia. Na ocasião, Christopher John Lewis, de 17 anos, tentou assassinar a rainha com um rifle. Por sorte, tudo não passou de um susto. Lewis, após ser detido, confessou estar envolvido em uma organização terrorista. Na época, foi condenado a 3 anos de prisão, por portar uma arma de fogo em público.

4 – Rei Eduardo VIII

4 11

Em 16 de julho de 1936, durante um desfile real pelas ruas de Londres, enquanto o rei Edward VIII andava na frente das tropas de volta para Constitution Hill, um homem, entre a multidão, puxou uma arma. Uma mulher, que estava ao lado, começou a gritar, alertando um policial sobre a tentativa de assassinato. O engraçado, aqui, é que o homem não disparou nenhum tiro. Ele apenas queria acertar o rei com a arma.

5 – Rei James I

5 10

Responsável pela reintrodução do protestantismo na Inglaterra, o rei James I, ao que parece, foi o que mais despertou ira em seus inimigos. Seu inimigo mais notável foi a Igreja Católica. Tanto que os rebeldes católicos, no Reino Unido, decidiram assassinar o rei de uma maneira muito dramática. O plano era explodir o prédio do parlamento no momento, em que o rei estivesse presente. O plano teria funcionado se Guy Fawkes, encarregado de plantar a pólvora, não tivesse sido pego no porão da Casa do Parlamento.

6 – Príncipe George

6 13

Um tribunal britânico sentenciou à prisão perpétua, um homem que incentivou o assassinato do príncipe George, de 4 anos, enquanto ele estivesse na creche. A pena poderá ser revista daqui a 25 anos. Husnain Rashid, de 32 anos, usou uma conversa, na plataforma de mensagens Telegram, em outubro de 2017, para pedir a seus interlocutores, que realizassem um atentado contra o filho do príncipe William e da duquesa Kate Middleton.

7 – Rei George III

7 13

Conhecido como o Rei Louco, devido ao seu temperamento e natureza volátil, George instigou muitas pessoas. Um deles foi James Hadfield, que abriu fogo contra o rei, enquanto o hino nacional estava sendo tocado no Theatre Royal, em maio de 1800. Hadfield era um criminoso insano e foi condenado à hospitalização. Morreu em um hospital psiquiátrico, em 1844.

Fatos Desconhecidos