7 pessoas que mentiram em níveis globais

71

Mentira é o nome que damos às afirmações ou negações falsas que são ditas por alguém, as quais a pessoa que as disseminou, na maioria das vezes, espera que os demais que estão ouvindo acreditem em suas inverdades. Às vezes, as pessoas podem achar que a mentira é necessária para não magoar os sentimentos dos outros, mas se descobertas, sabemos que podem ser muito piores.

Segundo estudos, as pessoas mentem em média 1,65 vezes por dia e essa média pode ser baixa. E existem as pessoas que levam a mentira para um nível absurdo. Elas têm uma escala de mentira muito forte e se recusam a admitir que mentiram, mesmo com as evidências na sua frente. Mostramos aqui alguns mentirosos que levaram suas mentiras ao extremo global.

1 – Hwang Woo-Suk

Esse pesquisador de células-tronco da Coreia do Sul era um cientista bastante talentoso. Ele trabalhou bastante com clonagem e, em 2005, projetou o primeiro cão clonado, Snuppy. Em 2002, ele começou a trabalhar no campo de clonagem humana. E dois anos depois, ele tinha dito que havia conseguido clonar embriões humanos.

Em 2005, ele publicou um artigo dizendo ter criado 11 linhas de células-tronco e o mundo médico ficou bastante animado. Mas questões foram levantadas de como o cientista estava conseguindo os ovos. E um dos colegas de Hwang admitiu que ele falsificava dados. Mesmo com as mentiras, pelo menos, Snuppy era real.

2 – Rosie Ruiz

Em 1980, essa mulher foi uma surpresa na Maratona de Boston. Não só pelo seu tempo de 2 horas, 31 minutos e 56 segundos, mas também porque ninguém nunca tinha ouvido falar dela. As autoridades desconfiaram do tempo da mulher quando, em suas entrevistas, ela dizia não se lembrar muito da corrida.

Mais tarde, dois espectadores da corrida disseram ter visto Ruiz saindo da multidão para o percurso da corrida faltando apenas 1,6 quilômetros para a chegada. Jornalistas lotaram o hotel onde a mulher estava hospedada querendo respostas e Ruiz mantinha sua afirmação falando que tinha feito a corrida. “Eu corri a corrida. Eu realmente fiz”, disse ela. Depois de um tempo, as autoridades revisaram as fotos oficiais e não conseguiram encontrar a mulher em nenhuma delas. Logo, o título foi tirado de Ruiz e dado à Jacqueline Gareau.

3 – James W. Johnston

Em 1994, esse executivo do tabaco estava testemunhando junto com outros executivos diante do Congresso e disse que “fumar cigarro não é mais ‘viciante’ do que café, chá ou Twinkies”. Ele continuou: “Se os cigarros viciassem, quase 43 milhões de americanos poderiam parar de fumar? Concordo que, para algumas pessoas, o tabagismo é um hábito, da mesma forma que outras atividades prazerosas, como assistir à TV, às vezes comer demais suas comidas favoritas e tomar café, podem ser hábito”.

Em 1998, James W. Johnston não era mais o executivo-chefe e os novos chefes já tinham aceitado o que todos já sabiam há tempos: que SIM, com certeza, o ato de fumar pode ter um papel significativo no câncer de pulmão.

4 – Marmaduke Wetherell

Esse homem era um famoso caçador, e em 1993, foi contratado pelo Daily Mail para encontrar o Monstro do Lago Nessie. Ele investigou por várias semanas e chegou até encontrar pegadas ao longo da costa que, segundo ele, eram de “um animal de pés macios muito poderoso com cerca de 6 metros de comprimento”.

O Daily Mail pegou moldes das pegadas para serem analisadas e a conclusão foi de que elas não pertenciam a Nessie e eram, na verdade, de uma peça como um guarda-chuva. E não ficou claro se Wetherell tinha sido vítima de uma piada de moradores locais ou se ele quis aumentar o seu status de caçador. Em 1994, um enteado de Wetherell admitiu que ele tinha criado a cabeça do monstro e colado no topo de um submarino de brinquedo para tirar a famosa foto do monstro.

5 – Titus Oates

Oates era um padre anglicano que, em 1678, voltou à Inglaterra depois de ter passado um tempo na França e na Espanha. Ele era extremamente anti-católico e ganhava a vida expondo outros religiosos para o governo.

O padre inventou uma história de conspiração jesuíta para assassinar o rei Carlos II e substituí-lo por um irmão católico do monarca. A história chamou a atenção de Sir Edmund Berry Godfrey e quando o rei foi assassinado, a história cresceu. O novo rei entrevistou Oates e por mais que tenha achado a história sem nenhuma credibilidade, ele executou 35 pessoas. Como a maioria dos mentirosos, ele foi vítima do impulso de embelezar e sua história começou a desmoronar. Assim, o irmão do rei processou Oates por difamação.

6 – Ryan Lochte

Depois de ter representado os EUA nas Olimpíadas de 2016, no Brasil, ele e outros nadadores pararam em um posto de gasolina para usar o banheiro. A porta estava fechada, e Lochte, que já estava meio bêbado, a empurrou e quebrou. E segundo alguns relatos, os nadadores urinaram fora do banheiro e Lochte ainda vandalizou um cartaz.

O nadador viu que essa história não sairia bem nos jornais e decidiu inventar que ele e os amigos tinham sido assaltados à mão armada e que tiveram suas coisas roubadas. As imagens de CCTV mostravam o contrário do que ele falou. O nadador foi banido do esporte por 10 meses.

7 – Rafid Ahmed Alwan Al-Janabi

Esse homem saiu do Iraque em 1999, com a intenção de ajudar a derrubar o regime de Saddam Hussein. Quando ele foi questionado pelos oficiais de inteligência, ele deu uma exagerada dizendo que sabia de caminhões que transportavam armas biológicas e que estava envolvido na montagem de laboratórios.

E essa informação de armas de destruição em massa foi usada para a invasão do Iraque pelos EUA e Inglaterra. E por mais que essas armas de destruição em massa nunca tenham sido encontradas, mais de 100 mil civis e soldados iraquianos dos EUA, Canadá e Europa morreram no conflito.