7 MÚSICAS MAIS ASSUSTADORAS DA HISTÓRIA

366

medo de enlouquecer e surtar

Não há como negar, as músicas estão sempre nos acompanhando. Seja enquanto você descansa, está na academia, fazendo serviços domésticos ou até mesmo enquanto está no trabalho, elas sempre estão por ali, afinal… Quem é que não gosta de escutar algo durante a execução de atividades que podem ser taxadas como chatas? A questão é que, embora sejam consideradas como combinações harmoniosas, nem sempre essa é a proposta dos compositores.

Algumas músicas foram criadas unicamente com o objetivo de chocar, e por isso, acabaram cumprindo seu papel. Misturam letras e ritmos completamente assustadores e alucinantes, que levam seus ouvintes a um outro estágio emocional. Pensando nisso, nós aqui da Fatos Desconhecidos separamos abaixo as 7 músicas mais assustadoras da história, mas que com certeza não deixam de ser excelentes! Confere aí!

1 – The End – The Doors

Durando mais de 11 minutos, a música “The End” é considerada uma verdadeira obra-prima da banda. Já bastante conhecida desde seu lançamento, em 1967, a música ficou ainda mais famosa após compor a trilha do filme Apocalypse Now, uma obra assustadora que era complementada pela música. Com uma composição de melodia e letras pesadas (o assassino acordou antes do amanhecer e pôs suas botas), seu significado é alegórico e envolto, abordando a morte como tema principal.

2 – Mother – The Police

A música corre em uma melodia alucinada que por si só, já é de assustar. É algo único e que dificilmente pode ser confundido com outras composições. A todo tempo, é como se a melodia estivesse ricocheteando nas paredes de um laboratório de um cientista maluco. A música é um completo desequilíbrio que, ao mesmo tempo, é equilibrada com o tom desesperado utilizado pelo vocal. É algo assustadoramente encantador.

3 – Scary Monsters (and Super Creeps) – David Bowie

O álbum pertence ao ano de 1980, mas é composto por algo que vai além do assustador. Por exemplo, sua faixa-título nos mostra letras que nos levam a uma potencial cena de crime: “Ela poderia ter sido uma assassina / Se ela não andasse do jeito que anda, que ela anda /  Ela abriu portas estranhas / Que nós nunca fecharíamos de novo“. Bem, o que será que isso quer dizer? Bowie era um mestre em compor obras fascinantes!

4 – Black Tambourine – Beck

As composições da banda são excelentes em evocar atmosferas visuais que nos fazem pensar no que realmente estaria acontecendo. Na música em questão, não seria diferente. Sobre o que exatamente eles cantam? Um casal fantasma que foge de um prédio desabando? “Minha querida corra para mim / Ela vive em edifícios desanimados / Não pode pagar a renda de novo / Estas teias de aranha estão na minha casa de novo“. Não foi à toa que a música entrou para a trilha do filme Império dos Sonhos, uma obra que mostra a morte de pessoas e o envolvimento delas com a realidade e o sobrenatural.

5 – Broken Harp – PJ Harvey

White Chalk é um álbum melancólico e cheio de histórias fantasmagóricas da banda PJ Harvey. Com tal descrição, é claro que qualquer uma de suas músicas poderia entrar em nossa lista, mas vamos nos concentrar em uma em específico: “Broken Harp“, visto que é um destaque à parte do álbum. O ritmo melódico da composição é apenas um pano de fundo para uma letra carregada de eventos bizarros: “Oh, algo de metal / Arrancando meu estômago para fora / Se você pensa mal de mim / Pode você / Você pode desculpar-me?” É como se uma pessoa estivesse em se quarto, pronta para cometer suicídio caso alguém não a perdoe. É realmente assustador.

6 – Ghosts 1 – Nine Inch Nails

Ghosts 1 é apenas a primeira faixa do álbum Ghosts I-IV, que foi lançado no ano de 2008. Seguindo a mesma proposta da maioria das músicas ali presentes, é instrumental e representa uma das mais bonitas composições do álbum. No início é possível escutar um sombrio piano ao fundo e o ritmo se une ao eletrônico, dando mais vida à música, mas que lentamente “morre” de novo.

7 – Frontier – Dead Can Dance

Com estilo mais gótico, a banda é aclamada e a música “Frontier“, mesmo sendo uma de suas primeiras, continua sendo a mais conhecida e poderosa de todas elas. Com a mescla entre a bateria e o vocal, a música tem um caráter frenético que apenas acelera com o tempo e deixa o ouvinte em completo êxtase. Se ela realmente tiver um significado, é melhor deixar pra lá. É a ambiguidade que a transforma em um verdadeiro show de horror.

E então pessoal, o que acharam? Compartilhem suas ideias com a gente aí pelos comentários!

Via   Reader Digest  FATOS DESCONHECIDOS