SEU TIPO DE TRABALHO PODE PREVER SE VOCÊ VAI SE DIVORCIAR OU NÃO, SABIA?

44

Um estudo publicado recentemente na revista Biology Letters abordou um lado interessante do mercado de trabalho: será que quem trabalha com muitas pessoas do sexo oposto tem mais chances de acabar pedindo o divórcio?

A autora do estudo, Caroline Uggla, explica que muitas das pesquisas sobre relacionamentos e separação não levam em conta um fator importante: o tempo em que as pessoas passam com indivíduos do sexo oposto, já que isso acaba sendo crucial em alguns ambientes de trabalho.

Para entender melhor essa questão, Uggla e seu colega Gunnar Andersson, ambos da Universidade de Estocolmo, analisaram 30 anos de dados da população da Dinamarca, a fim de encontrar padrões de divórcio e a relação entre a proporção de gênero nos mais diversos ambientes de trabalho.

De acordo com Uggla, ter mais parceiros em potencial no local de trabalho é, de fato, uma característica ligada ao divórcio: “Curiosamente, esse relacionamento variou entre homens e mulheres, e foi mais forte para os homens”, ressaltou a pesquisadora.

Metodologia

Com relação a dados da Statistics Denmark, uma organização governamental que registra informações demográficas desde 1945, os pesquisadores conseguiram encontrar informações sobre relacionamentos e emprego de centenas de milhares de pessoas.

A equipe usou dados tanto de homens quanto de mulheres nascidos na Dinamarca a partir de 1945, tendo casado com alguém do gênero oposto entre 1981 e 2002, e que esteve trabalhando em qualquer momento ao longo desses anos. Entre todas essas pessoas, 102.453 homens e 113.252 mulheres se divorciaram ao longo dos anos.

Em vez de focar em tempo de casamento, escolaridade e número de filhos, como a maioria das pesquisas sobre divórcio, os pesquisadores se focaram nos ambientes de trabalhos dessas pessoas.

Não deu outra

Os resultados revelaram que homens que trabalham em locais dominados por outros homens, como a construção civil, têm menos risco de divórcio do que as mulheres que trabalhavam nesses mesmos setores. Por outro lado, quanto mais mulheres haviam no ambiente de trabalho de um homem, maiores eram as chances de ele acabar se divorciando.

Setores de trabalho que representam maior chance de divórcio tanto para homens quanto para mulheres são os que dependem de interação social, como em hotéis e restaurantes. Já os que representam menos risco de divórcio são os que trabalham como agricultores ou bibliotecários.

Ainda que a teoria sobre pessoas com as quais se trabalha tenha se mostrado verdadeira, notou-se que homens que trabalham com muitas mulheres são os que mais tendem a colocar um ponto final em seus casamentos.

Tendência

“Pode ser cultural, mas é mais aceitável que os homens encontrem uma nova parceira e se divorciem. Ou pode ser que os homens, por alguma razão, estejam mais inclinados a responder a essa oportunidade [de mais parceiros em potencial] do que as mulheres”, explicou Uggla.

É claro que esses resultados não devem nos assustar muito, principalmente por serem uma resposta à análise de dados, apenas. De qualquer forma, eles acabam confirmando o que outros estudos sobre relacionamentos e divórcio já haviam sugerido.

“Qualquer estudo como este está sujeito a explicações alternativas, mas esses resultados se alinham com a literatura de pesquisa mais ampla, o que torna a interpretação dos autores bastante plausível. Esse é um estudo impressionante, especialmente em termos da enorme amostra de participantes”, disse Eli Finkel, professora de psicologia da Northwestern University.

Para Uggla, mais pesquisas qualitativas e mais detalhadas precisam ser feitas para complementar o atual levantamento.

Vale frisar que o estudo levou em consideração apenas casamentos entre pessoas do sexo oposto, já que a união homoafetiva só foi reconhecida pela primeira vez na Dinamarca em 1989, e que casamentos só foram legalizados em 2012.

MegaCurioso

COMPARTILHAR