PRAIA NA AUSTRÁLIA FOI ENGOLIDA PELO MAR

25

Um grande buraco apareceu do dia para a noite em uma praia em Queensland, na Austrália, e isso chocou os moradores locais e os turistas. A cratéra de cerca de 7 metros de profundidade e quase 300 metros de largura foi causada pelas marés e as autoridades locais temem que outra apareça.

Tudo ocorreu na noite do dia 23 de setembro e deixou muitas pessoas atordoadas, sem conseguirem compreender o que estava ocorrendo na praia. A cratera se abriu na praia Rainbow beach, em Iskip Point e já é a terceira que aparece no local em três anos.

A cratera

Esses buracos na areia da praia geralmente ocorrem quando as chuvas penetram no solo, fazendo com que sua instabilidade aumente e consequentemente cedam com o passar do tempo. O fluxo das marés do oceano foi o responsável direto para este incidente em especifico em Queensland.

Engenheiros geotécnicos e outros profissionais estão monitorando e avaliando a situação na região. Até o momento ninguém se feriu. Segundo Diana Journeaux, da Rainbow Beach Helicopters, ela não teria visto a grande erosão que fez com que um grande pedaço da praia desaparecesse quando sobrevoou a região em um helicóptero naquela manhã. O que acabou indicando que o incidente aconteceu de forma repentina.

Os cuidados

Aos banhistas e moradores locais foi indicado que evitassem circular pela área da erosão, uma vez que a ameaça de um novo incidente é real. “É provável que esta erosão tenha sido causada pelo enfraquecimento de parte da costa pelo fluxo das marés, ondas e correntes. Quando isso ocorre abaixo da linha de água, o litoral perde o apoio e uma seção desliza para o mar, deixando um buraco, cujas bordas voltam para a costa”, declarou o Departamento de Meio Ambiente e Ciência de Queensland.

Aparentemente, a área tem predisposição para este tipo de erosão. Em 2015, algo similar aconteceu há poucos metros do incidente mais recente. Em 2016 outra erosão ocorreu, o que levam as autoridades locais a acreditarem que novas crateras poderão surgir na região.

“Poderíamos ver outra [erosão] em 1 ano, ou poderíamos ver isso acontecer novamente só daqui alguns anos. Tudo o que podemos dizer, com alguma certeza, é que é uma área intrinsecamente instável e que isso ocorrerá periodicamente”, disse Peter Davies, da Universidade da Costa do Sol.

COMPARTILHAR