Por que você não deve soltar 1,5 milhão de balões de uma...

Por que você não deve soltar 1,5 milhão de balões de uma vez só

237

istória que você vai conhecer agora é, basicamente, a receita de um desastre. Tudo começou em 1986, em Cleveland, Ohio, quando algumas pessoas tiveram a ideia de bater um recorde mundial de maior número de balões cheios de gás hélio soltos ao mesmo tempo.

Moradores da região se empolgaram com a ideia e não foi difícil que o Ballonfest, promovido pela United Way of Cleveland, conseguisse unir a força de centenas de voluntários que, juntos, encheram incríveis 1,5 milhão de balões de hélio – o recorde anterior era de 1,2 milhão.

Acontece que a ideia, que tinha um fundo poético e as melhores intenções possíveis, acabou em tragédia. A quantidade absurda de balões acabou sendo responsável pela morte de duas pessoas e causou um prejuízo de milhões de dólares em ações judiciais.

A tenda na Praça Pública de Cleveland começou a ser preenchida de balões no dia 27 de setembro e, quando a rede foi solta e os balões liberados, a cidade inteira se viu coberta de uma quantidade absurda de bexigas vermelhas, azuis, brancas e amarelas, de modo que, vistas de longe, pareciam confetes sobrevoando a região.

Deu errado

Os balões foram soltos às 13h50, e o que era para ser um evento beneficente acabou trazendo prejuízos imensos. O problema foi a chegada de uma tempestade, que empurrou balões de volta para o chão, criando um verdadeiro caos nas estradas e no aeroporto local.

Só para você ter ideia, uma das pessoas que processou o evento foi o dono de uma fazenda, que teve seus cavalos feridos. Os animais se assustaram com a chegada da quantidade absurda de balões e acabaram se machucando – a indenização aqui foi de US$ 100 mil.

No mesmo dia, a guarda costeira realizava uma busca por dois velejadores desaparecidos, mas os balões simplesmente interromperam a operação, já que impossibilitaram o fluxo de helicópteros – os dois homens acabaram morrendo, o que provavelmente não teria acontecido se as buscas não tivessem sido descontinuadas.

Há relatos de que os balões foram feitos até mesmo no Canadá, já que muitos deles foram direcionados para o lado do Lago Erie. O fato é que ainda que a visão da liberação dos balões tenha sido bonita, as consequências do ato definitivamente não saíram dentro do esperado.

De acordo com o meteorologista Nick Wiltgen, esse tipo de tragédia dificilmente aconteceria nos dias de hoje, pois entendemos melhor os eventos atmosféricos e temos acesso fácil a tecnologias que nos informam sobre eles.

No caso dos homens desaparecidos que morreram, os responsáveis pela busca relataram que tiveram grandes dificuldades de encontrar o barco tombado, que acabou coberto de balões. Quando a guarda costeira finalmente conseguiu chegar até o barco, não conseguia encontrar as vítimas do acidente em meio aos balões.

COMPARTILHAR