O número amaldiçoado que matou seus 3 donos

218


Todos nós já tivemos, em algum momento da vida, um objeto da sorte. Aquele amuleto que levamos pra lá e pra cá, dentro da bolsa ou da carteira. Ele pode ser um talismã passado de pai pra filho, algo que uma pessoa querida te deu de presente ou até mesmo algo conhecido por dar sorte, como um trevo de quatro folhas ou um pé-de-coelho. Na mesma proporção, é bem provável que você já tenha possuído algo que só te colocava na pior. Seja uma peça de roupa, um acessório ou mesmo um livro que você encontrou em uma biblioteca, esse tipo de objeto tem o poder de levar tragédias para quem o tiver e deve ser descartado — ou mesmo purificado — o quanto antes. Mas você já imaginou que qualquer coisa pode ser amaldiçoada? Hoje em dia, há muitas coisas que possuímos mas não são físicas: nossa conexão à internet, as contas que temos em redes sociais, nosso número de celular… Pois é: um número de celular amaldiçoado.

COMPARTILHAR