ESTA ILUSÃO DE ÓPTICA VAI FAZER VOCÊ VER COISAS QUE NÃO EXISTEM

54

Nosso cérebro é uma máquina complexa e misteriosa — até hoje, esse órgão é objeto de estudo para cientistas do mundo inteiro. Porém, já está mais do que provado de que ele também é capaz de nos enganar e cair em algumas armadilhas que obrigam o resto do seu corpo a ter certas percepções incorretas a respeito da realidade. Quer mais um exemplo disso? Então conheça esta divertida ilusão batizada de Illusory Rabbit (Coelho Ilusório).

Criado por pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Califórnia (mais conhecido pelo diminutivo Caltech), a “brincadeira” consiste em um pequeno vídeo no qual você verá três luzes piscando. O problema é que não existem três luzes no vídeo, e sim apenas duas. Ficou confuso? Então coloque seus fones de ouvido (ou aumente o volume das caixas de som) e assista ao clipe em questão.

Foque sua visão na cruz localizada no topo do vídeo e tente observar a quantidade de flashes que aparecem na região inferior da tela. Você contou três pontos luminosos, cada um acompanhado por um sinal sonoro, correto? Acontece que o segundo flash não existe. E antes que você pense que estamos tirando sarro com a sua cara ou que você está ficando louco, vamos explicar a ciência por trás desse fenômeno.

Não é magia, é ciência

Para enganar o seu cérebro, os pesquisadores piscaram uma luz à esquerda e tocaram um beep quase no mesmo instante; em seguida, em apenas 58 milissegundos depois, outro sinal sonoro foi emitido, sem flash algum. Por fim, o segundo sinal luminoso surge à direita, novamente acompanhado de um beep. Ou seja, aquele flash central que você enxergou é apenas um fantasma.

“Quando o último par de sinal-beep é apresentado, o cérebro assume que ele perdeu o sinal luminoso associado ao beep solitário e literalmente assume que existia outro flash que acabou passando despercebido”, explica Noelle Stiles, responsável pela pesquisa. Noelle também ressalta o quão interessante é o fato de que o órgão assume até mesmo a posição do flash inexistente, tudo com base no primeiro e no último sinal luminoso.

Embora o grupo não tenha divulgado esse segundo experimento, eles também desenvolveram um vídeo similar, no qual três flashes surgem na tela, mas apenas dois beeps são emitidos (no primeiro e no segundo). Adivinhe só? A maioria das pessoas percebem apenas dois sinais luminosos. “O cérebro usa suposições sobre o ambiente para resolver problemas. Quando essas suposições estão erradas, podem ocorrer ilusões”, explica.

O truque para ambas as ilusões são simples: velocidade. Os vídeos bombardeiam nosso cérebro com informações de vídeo e de áudio em frações de segundo, fazendo o melhor que ele pode para interpretar esses dados. Tal fenômeno é conhecido pelos cientistas como pós-disposição. Embora essa pesquisa possa parecer pouco útil, ela é preciosa para provar como o órgão combina diferentes sensores para gerar um senso integrado de percepção.

COMPARTILHAR