BRIE LARSON COMENTA QUE QUASE REJEITOU O PAPEL EM CAPITÃ MARVEL

21

Marvel Studios’ CAPTAIN MARVEL
Carol Danvers/Captain Marvel (Brie Larson)

A Marvel Studios levou dez anos para finalmente ter seu primeiro filme solo com uma heroína. Embora Capitã Marveltenha entrado na pauta do estúdio em 2014, apenas agora o projeto foi concretizado. Para recuperar o tempo, o estúdio precisava fazer bonito, a começar pela escolha da atriz. Apesar de Brie Larson realmente estar semelhante à personagem, ela quase não aceitou o papel. Larson era mais envolvida em produções menores e independentes. Seu nome era pouco conhecido em meio a massa. Porém, tudo mudou após ter estralado O Quarto de Jack, filme de 2015.

Em uma performance emocionante e, certamente, num dos papéis mais tristes de sua carreira, Brie Larson teve seu nome jogado ao mundo quando levou para casa o Oscar de Melhor Atriz em 2016. Acontece que vários artistas tendem a ficar esnobes depois de conquistarem o prêmio máximo de Hollywood. Felizmente, esse não foi o caso de Larson. Apesar disso, a atriz pensou muito antes de aceitar viver a heroína. Além de não ser nada fácil lidar com as chatices de leitores fanáticos, há também a parte do treinamento. Larson precisou trocar sua alimentação e malhar muito. Em um bate-papo com a Entertainment Weekly, a atriz comentou que quase não aceitou a proposta.

A decisão de Brie Larson

“Eu nunca me vi fazendo algo desse tipo, principalmente porque gosto do anonimato. Eu gosto de desaparecer dentro dos personagens e sempre senti que caso me mostrasse muito para o público, poderia limitar o futuro”, comentou. Em seguida, ela explica o que a fez se apaixonar por Carol Danvers. “Apenas ver uma personagem que expressa seus sentimentos, fala o que pensa e não deixa as pessoas ficarem no seu caminho é incrivelmente gratificante. E Carol Danvers é uma personagem complexa – parte Kree e parte humana – uma guerreira, às vezes, impulsiva e em desacordo com si mesma”.

Brie Larson revela o quanto ficou atraída pela dualidade da personagem. A luta interna que precisa enfrentar constantemente para alcançar um equilíbrio satisfatório. De acordo com ela, o filme é engraçado quando pode ser, mas também é cheio de emoção e profundidade. No fundo, a obscuridade dentro de Carol, suas falhas como humana e suas tentativas, muitas vezes frustradas, de ser uma pessoa melhor, foram fatores decisivos para a atriz aceitar o papel. E não poderíamos agradecer mais!

Capitã Marvel é dirigido por Anna Boden e Ryan Fleck. O filme chega aos cinemas dia 8 de março de 2019.

Via   Collider
COMPARTILHAR