BIR TAWIL: O PEDAÇO DE TERRA NA ÁFRICA QUE NINGUÉM QUER

110

A história das civilizações conta com diferentes disputas por território, então é difícil pensar que em pleno 2018 existam lugares que ninguém faz questão de reivindicar. Esse é o caso de Bir Tawil, uma porçãozinha de terra com pouco mais de 2 mil km² que ninguém faz questão de chamar de sua.

O mais curioso é que Bir Tawil fica entre o Egito e o Sudão, mas nenhum dos dois países faz questão de anexá-lo oficialmente a seu território. Acontece que a região é extremamente árida, pedregosa, inabitada e sem nenhum recurso natural. É uma porção de terra sem utilidade nenhuma, por isso ninguém faz questão de tê-la.

Ao lado de Bir Tawil está outra região com características semelhantes, chamada de Triângulo de Hala’ib. Como esse lugar ao menos tem acesso ao Mar Vermelho, tanto Egito quanto Sudão querem a sua posse, mas, por conta de um acordo de fronteiras, quem tiver uma das regiões não pode ter a outra.

A bizarrice começou em 1899, quando o Reino Unido traçou uma fronteira reta através do paralelo 22, anexando o território ao Sudão e deixando Hala’ib para o Egito. Esse acordo durou apenas 3 anos, já que em 1902 uma nova linha foi traçada tendo como base as identificações de tribos nômades em ambos os lugares, invertendo a posse dessas regiões.

Só que o Egito não curtiu a mudança e, desde então, reivindica a “devolução” de Hala’ib. Como Bir Tawil se tornou uma terra de ninguém, um americano chamado Jeremiah Healton chegou ao local e cravou uma bandeira para criar seu próprio reino – bem, na verdade esse seria um mimo para sua filha, que queria ser uma princesa de verdade.

Jeremiah não foi o único: o empresário indiano Suyash Dixit também cravou uma bandeira por lá, em 2017, para dizer que a terra era sua. Antes deles, os russos Dmitry Zhikharev e Mikhail Ronkainen também deixaram sua marca. Nenhuma dessas pessoas, entretanto, continuou por lá para administrar o lugar. Portanto, Bir Tawil continua sendo de ninguém.

 

COMPARTILHAR