Aos 22, Lola dá curso de sexo e planeja mestrado, mas não quer largar prostituição

211

lola_autografo_1Temas como sexo oral, anal e masturbação foram abordados no curso ‘Despertar do Prazer’, ministrado por Lola Benvenutti, pseudônimo de Gabriela Natália da Silva, a jovem formada em letras pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) que ficou conhecida por narrar em um blog suas experiências como garota de programa. Em passagem por Araraquara (SP) na noite de segunda-feira (1º), a autora de ‘O Prazer é Todo Nosso’ disse que há intenção de levar o workshop a cidades do interior de São Paulo. Em meio à rotina de reuniões e entrevistas, Lola se prepara para o mestrado e mesmo com a correria afirmou que não pensa em parar de atender os clientes. “Estou bem assim e aproveitando a vida”.

Aos 22 anos, garota de programa de Pirassununga decidiu ensinar as pessoas algumas formas despertar o prazer. O workshop desenvolvido em parceria com a sócia, Branca Moura, e a Kind, especializada em cursos para mulheres, visa libertar o sexo de tabus e regras e vivê-lo intensamente. A metodologia envolve dinâmicas e diálogos que guiam cada participante a um processo de relaxamento, de consciência corporal e sensitiva.

“Minha sócia trabalha mais essa questão do corpo, os movimentos, os sentidos, é uma experiência sensorial. Existe esse despertar do prazer que vem do próprio corpo porque ai você passa à pessoa com a qual está interagindo. Eu faço uma parte mais de prática de técnicas”, explicou Lola, que apresenta temas sensíveis ao autoconhecimento do prazer, brincadeiras e sugestões de exercício.

A primeira turma do curso reuniu 30 mulheres em Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo, na última quinta-feira (27).”O pessoal deu um feed back super positivo e já tem fila de espera. A ideia agora é separar por módulos, abrir para homens e casais e levar essa experiência para cidades do interior e outras capitais”, disse.

lola4Estudo e trabalho
Lola conversou com o G1 durante sessão de autógrafos após ser convidada para uma apresentação de trabalho de conclusão de curso de alunos de jornalismo de uma universidade de Araraquara. A garota de programa foi uma das personagens do documentário feito pelos estudantes, intitulado “Entre Livros e Lençóis – Retratos da Prostituição Universitária”.

Homenageada, a jovem disse que sente saudades do ambiente acadêmico e que pretende voltar a estudar. Segundo ela, o foco agora é o mestrado, que  deve prestar até o meio do próximo ano na Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Araraquara. O projeto será voltado para a área da educação sexual, com uma visão mais positiva sobre a prostituição, descreveu ela.

Para dar conta dos compromissos, Lola disse que o jeito é reduzir o número de programas, mas não abandoná-los de vez. “O mestrado exige muito estudo, o próprio processo de escrita do livro tomou muito tempo também. Então hoje eu atendo menos pessoas. Eu tento administrar o meu tempo de modo que eu consiga fazer as coisas e ter prazer também, o que é importante. Eu sempre falo isso, é até uma visão um pouco romântica da prostituição, mas eu gosto tanto das pessoas, eu tenho um carinho tão grande por elas e conheço gente muito legal. Amadureci muito e me divirto horrores. Nesse momento adoro a minha vida assim”, afirmou.

Em relação ao trabalho, Lola contou fará uma reunião esta semana com uma editora interessada em lançar outro livro. “Recebi a proposta, ainda não sei o tema, mas com certeza será algo relacionado ao universo sexual. Fui procurada também por uma produtora para participar de algum trabalho na TV fechada, mas ainda não posso falar sobre isso”, relatou. Quanto às adaptações para o teatro e cinema de seu primeiro livro, ela declarou que ainda não há novidades.

Desejo
Lola formou-se pela UFSCar em 2013. Após se graduar, começou a escrever na web sobre a experiência de prostituição. Em entrevista ao G1, ela diz que não escolheu a profissão por necessidade financeira. “Faço porque gosto”, revelou.

O pseudônimo dela faz referência à personagem do escritor russo Vladimir Nabokov no romance “Lolita”, de 1955. Lola Benvenutti exibe no corpo tatuagens com frases dos autores brasileiros Guimarães Rosa e Manuel Bandeira.

No novo livro, a jovem conta sobre “momentos marcantes de sua vida como garota de programa, incluindo suas experiências com a alta sociedade”.

As informações são do G1/SP

VEJA TAMBÉM

COMPARTILHAR