A história surpreendente do casal caçador de nazistas

47

Milhares de pessoas morreram pelas mãos de nazistas entre os anos de 1933 e 1945. Cerca de 2/3 de toda a população judaica que vivia na Europa foi assassinada de forma brutal. Toda essa matança foi patrocinada pelo Estado e partido nazista, tudo isso com o apoio de Adolf Hitler.

Apesar de toda a maldade e dissimulação usada pelos nazistas para pregar o ódio à raça não ariana, principalmente aos judeus. Esse discurso não atingiu algumas pessoas, que decidiram lutar contra toda essa campanha de ódio. E não só isso, eles decidiram buscar justiça pelas milhares de vida que foram ceifadas de forma cruel.

Casal Klarsfeld

Serge Klarsfeld tinha apenas 8 anos quando conseguiu fugir da Gestapo – polícia secreta do regime nazista alemão. Após o fim da Segunda Guerra Mundial, Serge conseguiu o título de nacionalidade francesa e então começou seus estudos em Paris. Anos mais tarde, ele conheceu Beate Kunzel, uma jovem alemã protestante que se negava a deixar o passado por trás depois do Holocausto judaico.

casal buscava que os responsáveis pelo massacre nazista fossem responsabilizados. Eles usavam todos os meios possíveis para encontrar os culpados, legais ou não. O mais importante para eles era capturar os culpados, eles eram uma dupla invencível e juntos conseguiram capturar os principais representantes do regime nazista.

Nazistas presos

O casal conseguiu capturar os principais nomes da polícia nazista na França. Alguns dos presos foram Kurt Lischka, que era ex-comandante da Gestapo. Além de Klaus Barbie, oficial da polícia secreta nazista, mais conhecido como “açougueiro de Lyon”, por conta das brutalidades e torturas que cometia com os prisioneiros.

Barbie era o responsável por enviar os judeus aos campos de concentração. Com o fim da Segunda Guerra, ele fugiu para a Bolívia aonde foi localizado pelo casal. O homem então foi extraditado para França, aonde foi sentenciado à prisão perpetua por ter cometido crimes contra a humanidade.

O casal recebeu honra máxima no país por conta de seu grande serviço à humanidade. A cerimônia foi liderada pelo presidente da França, Emmanuel Macron. Serge recebeu a condecoração da Grã-cruz da Legião de Honra, a maior condecoração do país. Sua esposa, Beate que já havia sido condecorada em 2014, recebeu ainda outra condecoração de Ordem Nacional do Mérito.

COMPARTILHAR