A HISTÓRIA DO HOMEM QUE SABOTOU ARMAS NUCLEARES NAZISTAS

23

Durante a Segunda Guerra Mundial, muitos exércitos se formaram na luta entre Eixo e Forças Aliadas. No entanto, essas não eram as únicas potências da Segunda Guerra. Existiam também os combatentes da resistência, que eram contrários aos ideais disseminados por Adolf Hitler e tentavam ajudar de alguma forma na queda do nazismo.

Joachim Ronneberg fazia parte de um desses grupos de resistência. O norueguês teve uma atuação extremamente importante contra os planos de armas nucleares nazistas.

Ronneberg se torna combatente

Ronneberg tinha 21 anos quando sua cidade Aalesund, na Noruega, sofreu uma invasão nazista. A situação o forçou a fugir para Escócia, acompanhado de um grupo de amigos. Ele então se juntou a outros compatriotas e recebeu treinamento militar para participar do grupo de resistência.

Enquanto isso ocorria, as especulações de que Hitler lançaria uma arma secreta só aumentavam. Essa nova arma era a bomba atômica, que para funcionar precisaria de água pesada. Uma substância crucial para a construção de uma bomba nuclear.

Quando descobriram aonde essa substância era produzida, uma equipe britânica de 35 homens foi enviada para destruir o local. Como o local era extremamente seguro e vigiado, a tentativa foi de infiltração, mas o plano não deu certo e os nazistas continuaram a produzir água pesada.

Uma nova operação contra a bomba nuclear

Apesar de a primeira missão ter falhado, era preciso continuar tentando. Com apenas 23 anos, Ronneberg foi contratado para liderar uma nova equipe a usina de água pesada. Seria usada a mesma tática de infiltração, já que o local era a prova de balas e isso o protegia de um ataque aéreo, enquanto que as redondezas eram constantemente vigiadas. O grupo então partiu para a missão mais importante de suas vidas e a mais perigosa também. Cada um deles levava consigo um tablete de cianureto caso fossem pegos.

Para chegar a usina eles tiveram que saltar em território inimigo de paraquedas, sem serem notados. Depois disso, eles precisaram esquiar por áreas frias, com direito a travessia de um rio. Para então se esquivar dos guardas e conseguir entrar no porão aonde os explosivos seriam colocado.

E foi isso que fizeram, a equipe conseguiu colocar os explosivos no local. O problema veio quando os guardas ouviram as explosões e foram atrás deles. Cerca de 3 mil soldados alemães perseguiram o grupo. Eles fugiram de esqui até a Suécia, um país vizinho e que se mantinha neutro durante a guerra. A atuação da equipe explodiu o único local que os nazistas tinham para produzir a água pesada e dessa forma atrapalharam os avanços na bomba atômica.

Ronneberg faleceu no último dia 22 de outubro de 2018. Ele era o último integrante do grupo que ainda estava vivo, mas o legado e a história de todo o grupo continuarão a ecoar na história.

COMPARTILHAR