A chocante história do cão que está mumificado dentro de uma árvore

208

Na década de 1980, uma equipe de madeireiros da empresa Georgia Kraft Corp estava derrubando uma árvore no sul da Geórgia. Foi então que encontraram algo totalmente inusitado: um cão mumificado dentro do tronco oco de uma árvore. Ele estava com os dentes a mostra e na posição em que morreu. Vale ressaltar que ele estava com os olhos totalmente voltados para os madeireiros.

Alguns especialistas estudaram a carcaça e de acordo com suas observações, concluíram que o filhote era provavelmente um cão de caça de 1960. De acordo com eles, o cachorro provavelmente havia perseguido algum animal como um esquilo, o qual se escondeu dentro do tronco oco.

A árvore ficou cada vez mais estreita de acordo com que o cão subia no tronco. De acordo com a posição das patas do cão, os especialistas acreditam que ele continuou a subir até que se entalou.

Ao invés de se decompor ou ser devorado por algum predador, seu corpo se mumificou pois o cão morreu dentro da árvore. Sendo assim, ele não podia ser alcançado por nenhum animal. Além disso, o tipo de árvore em que o cachorro ficou preso era composto por substâncias como os taninos encontradas nos carvalhos de castanha, que auxiliaram no processo natural da mumificação. Os taninos da árvore impediram que o animal se apodrecesse por dentro.

O ambiente seco dentro do tronco também representou outro fator. O que inclusive contribuiu para que o cão fosse mumificado. A umidade da carcaça foi totalmente sugada pois criou-se um efeito de vácuo.

Depois de encontrar o filhote mumificado, os madeireiros levaram o tronco para o museu Southern Forest World, em Waycross, na Geórgia (EUA). Esse museu é dedicado à história da silvicultura. Durante muitos anos, o cão foi chamado apenas de “cão mumificado”. Contudo, em 2002, ganhou o nome “Stuckie”. Confira a foto do animal exposto no lugar.

Via   ATI  FATOS DESCONHECIDOS

COMPARTILHAR