8 MELHORES (E PIORES) SÉRIES E FILMES ORIGINAIS NETFLIX DE 2018 (ATÉ AGORA

68

Com tantos contratos de exclusividade, chega uma hora que a Netflix precisa colocar seus planos no catálogo. Sendo assim, a cada mês temos mais e mais produções exclusivas listadas em sua grade. A empresa tem investido em quase todos os gêneros do audiovisual, são filmes, séries, desenhos e especiais. Assim, o que não falta são opções do selo original Netflix na plataforma. Este é um dos motivos pelo qual o número de títulos a deixar o catálogo é maior do que aqueles que entram.

Ao realizar um balanço geral do ano, podemos dizer que 2018 não foi um dos melhores para a plataforma de streaming. Embora tenha lançado produtos de qualidade, parece que a empresa se concentrou mais em adquirir exclusividades do que trabalhar com o material já em mãos. Pensando nisso, separamos algumas das melhores e piores produções originais Netflix, até o momento.

Melhores

1 – Lost in Space (série)

Na cara e na coragem, a Netflix resolveu fazer um reboot da clássica série de ficção científica. Com algumas mudanças em relação a obra original, ela conseguiu acertar na história e nos efeitos especiais. A trama acompanha a família Robinson em sua jornada na colonização espacial. Porém, durante a viagem, a nave é desviada de seu caminho inicial e cai em um planeta estranho. No local, encontram vida inteligente e mais algumas bizarrices de brinde. A série mostrou respeito ao programa antecessor, ao mesmo tempo que inovou e provou que tem forças para seguir por conta própria.

2 – Wild Wild Country (minissérie)

Em seis episódios, a série conta uma parte esquecida da história – recente – dos Estados Unidos. Em 1981, o guru espiritual indiano Bhagwan Sheree Rajneeshcomeçou um movimento religioso que pregava a filosofia do amor livre. Junto com seus seguidores, eles compraram dezenas de hectares em Antelope, região no leste de Oregon. Em cerca de três anos, a comunidade aglomerava milhares de pessoas, todas atraídas pelo modo de vida oferecido. Contudo, a situação desencadeou um violento conflito entre os seguidores e os outros moradores locais.

3 – Everything Sucks (série)

Os anos 1990 nunca estivaram tão vivos! Prova disso são todos os remakes, versões e reunions que têm acontecido nos últimos anos. Uma boa época para a cultura pop, até as obras ruins ficaram boas com o tempo. Por isso, fica complicado esquecer esses anos. A Netflix resolveu homenagear o período com uma série nostálgica para muitos e cheia de novidade para outros aos olhos das crianças da época. Infelizmente, a tentativa não alcançou os números esperados pela plataforma. A série foi cancelada com apenas uma temporada, mas isso não significa que seja ruim. Ainda vale a conferia!

4 – Altered Carbon (série)

A série não atraiu grande público, porém, para quem gosta de ficção científica, ela é uma ótima opção. A história é baseada no romance de Richard K. Morgan e é ambientada no ano de 2384, onde o transplante de consciência é uma realidade. Por causa de tal avanço tecnológico, qualquer pessoa que tenha dinheiro suficiente pode ter suas memórias transferidas para outro corpo à escolha. A trama gira em torno do soldado Takeshi Kovacs (Joel Kinnaman), que é trazido de volta à vida séculos depois de sua morte para investigar a tentativa de assassinato de Laurens Bancroft (James Purefoy), o homem mais rico da Terra. À medida que sua investigação progride, ele descobre que seu passado não está tão enterrado como imaginava.

Piores

5 – The Cloverfield Paradox (filme)

O filme faz parte do universo Cloverfield, lançado há dez anos com direção de Matt Reeves. A Netflix desenvolveu o projeto em segredo e deveria ter continuado assim. A empresa pegou todos de surpresa ao liberar cartaz, trailer, sinopse e data de estreia de apenas uma vez. Na pior forma Alien possível, a história é um prelúdio do primeiro filme. Um grupo de cientistas presos numa estação espacial, falham ao tentar manipular um acelerador de partículas e acabam em outra dimensão. Sem querer, eles enviam uma criatura para a Terra que, coincidentemente, em tanto lugar para cair, despenca justo em Nova York.

6 – Mute (filme)

O filme era uma bela aposta e realmente tinha todas as chances a seu favor. Elenco de estrelas, dirigido e co-escrito por Duncan Jones e uma premissa bem instigante. Infelizmente, ficou por isso mesmo. Alexander Skargard é Leo, um barman que trabalha num clube de strip-tease. Quando criança, ele ficou doente, porém, com sua mãe era Amish, recusou qualquer tipo de tratamento. Como consequência, ele ficou mudo. Ao salvar uma garota no local de trabalho, os dois se apaixonam e começam a viver uma história de amor. Certo dia ela desaparece do nada e ele parte em busca da verdade para saber o que aconteceu. A trama é cheia de clichês mal explorados, personagens apáticos, dos quais ninguém se importa e um cenário barato. Inclusive o bigode horrível de Paul Rudd.

7 – Game Over, Man! (filme)

Quando um hotel em Los Angeles é tomado por criminosos, três amigos precisam respirar fundo e agir para salvar seu local de trabalho. A comédia é mais do mesmo, com piadas prontas e atuações lineares. Anders HolmBlake Anderson e Adam Devine são os protagonistas da história. Os três, veja que engraçado, também são as estrelas da série Workaholics. Aqui, eles basicamente reprisam seus personagens do programa, com a diferença do ambiente. O que funciona na série, não fez o mesmo efeito no longa.

8 – The Week of (filme)

Não há problema em gostar do Adam Sandler, basta ter em mente que isso não muda o fato de seus filmes estarem cada vez piores. Honrando seu contrato com a Netflix, na história da vez, Sandler faz o papel de um pai de classe média que, orgulhoso demais para aceitar qualquer ajuda financeira, pretende pagar os custos do casamento da filha. Basicamente é isso! O filme é como um longo capítulo de novela brasileira. O tom oscila entre a comédia e o drama, com o acréscimo de músicas açucaradas na intenção de fazer o espectador sentir alguma emoção. De novo, está tudo bem gostar tanto do Adam Sandler quanto de seus filmes, contanto que o bom senso fale mais alto!

Concorda com a lista? Comente com a gente porque não e cite as melhores e piores produções originais Netflix na sua opinião

COMPARTILHAR