7 animais modificados que você não sabia que existiam

78

Geralmente, sempre quando surge algum debate sobre animais geneticamente modificados, os argumentos e a discussão são centrados naqueles criados para alimentação. Enfim, os perigos e as vantagens de termos esse tipo de alimento chegando às prateleiras. Entretanto, outros animais também passam por experiencias e modificações genéticas.

Grupos ligados aos direitos e à proteção dos animais no mundo todo têm buscado livrar os bichinhos dos testes e experimentos. Mas ainda há muito o que se fazer. E o tema é bastante polêmico, uma vez que esbarra nas questões ligadas à ética e nos avanços da ciência. Listamos alguns animais que sofreram algum tipo de modificação genética e que você provavelmente não sabia. Confira!

1 – Galinha dos ovos de ouro?

Cientistas japoneses criaram uma galinha capaz de botar ovos que irão combater o câncer. Geneticamente modificadas, os ovos desses animais contêm grandes quantidades de interferão beta, proteína que combate o câncer, hepatite e a esclerose múltipla.

Os pesquisadores adicionaram a proteína às células dos galos não nascidos. Então essas células foram reinseridas em embriões adequados. Os animais se acasalaram e o ciclo foi repetido. Após duas gerações, as galinhas já botavam ovos ricos em interferão beta. Os ovos podem chegar a custar entre 535,995 e 2,6 milhões de dólares, cada.

2 – Formigas e a sociabilidade

Os cientistas tinham verdadeiro fascínio por tentar entender como as formigas organizavam e se comportavam “socialmente”. A ideia deste grupo de insetos, cooperando para um bem comum intrigavam os pesquisadores. Depois de muitos estudos, eles compreenderam que as formigas cooperam por causa do olfato. Biólogos da Universidade Rockfeller então criaram uma formiga geneticamente modificada para estudar seu comportamento social.

A espécie escolhida por eles foi a formigas-biroi, e ao contrário de outros insetos, elas não possuem rainhas. Cada uma delas coloca um ovo. O que é basicamente um clone delas mesmas. Através delas, os pesquisadores conseguiram desenvolver uma formiga capaz de detectar os odores, como as demais formigas. Entretanto, o olfato das formigas não era tão apurado e elas acabaram se recusando a seguir as trilhas de outras formigas e apenas ficavam vagando.

3 – Cão bombado

Cães da raça Beagle foram geneticamente modificados por cientistas chineses e deram origem a uma “versão” mais forte, rápida e mais musculosa. Uma alteração no gene miostatina foi a responsável pelos cães “bombados”. A ‘técnica’ acontece de forma natural em alguns cães, como o Whippet.

A ideia inicial, na verdade, não era criar cães mais musculosos. Na verdade, a intenção dos pesquisadores era testar a possibilidade das modificações genéticas e assim estudar como doenças como o Parkinson e a distrofia muscular ocorrem nos humanos.

4 – Super abelhas

As abelhas são extremamente importantes para economia canadense. Elas ajudam na polinização de plantas, fornecem cera e mel. Entretanto, devido aos rigorosos invernos e algumas doenças, o país está enfrentando problemas pela falta destes animais. Um quarto das abelhas no Canadá morrem a cada ano. Agricultores canadenses chegaram até mesmo a importar abelhas dos EUA. A Universidade da Colúmbia Britânica está desenvolvendo abelhas que consigam sobreviver às doenças e que ainda possam tolerar o inverno extremo.

5 – Macacos e os transtornos humanos

A criação de macacos geneticamente modificados com autismo e esquizofrenia estão sendo propostos por cientistas e pesquisadores para fins de pesquisa. O projeto está sendo encabeçado por Guoping Feng, chefe de neurociência do Instituto de Tecnologia de Massachusetts. Feng tem realizado seus experimentos na China, uma vez que nos EUA ele enfrentaria diversos problemas com grupos de proteção e direitos dos animais.

6 – Cavalos-marinhos dourados

Cientistas no Vietnã criaram o primeiro animal transgênico do país. Um cavalo-marinho dourado. O animal teria sido desenvolvido pela equipe de Phan Kim Ngoc, para testar um novo método genético inventando pelo cientista. Diversos outros animais haviam sido usados anteriormente, mas de certa forma, os cientistas julgaram os cavalos-marinhos “melhores” para o procedimento.

O estudo de Kim Ngoc tenta encontrar maneiras para que modificações genéticas possam nos beneficiar, tanto em fatores ligados à alimentação, quanto em questões ligadas à doenças. A equipe do vietnamita agora estuda como alterações das células de camundongos poderiam criar insulina e assim ajudar as pessoas que sofrem de diabetes.

7 – Micro porco

Cientistas do Instituto de Genômica de Pequim conseguiram criar micro porcos para serem animais de estimação. Assim como outros experimentos, os micro porcos surgiram por acaso, enquanto os cientistas os desenvolviam para experimentos e estudos sobre células-tronco. Os micro porcos serão vendidos por cerca de 10 mil yuan.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

FATOS DESCONHECIDOS

COMPARTILHAR